CONEXÕES DO CANISTER

Tem alguma dica sobre manutenção? Divulgue! Leia e mantenha seu Monza em dia!
Alexandre Rosa
Mensagens: 3
Registrado em: 21 Jan 2017, 16:32
Cidade: Ferraz de Vasconcelo
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza SLE
Motor: 2.0
Ano: 1990
Combustível:: Gasolina
Injeção: Carburador

Re: CONEXÕES DO CANISTER

Mensagem não lida por Alexandre Rosa »

Ok obrigado. Vou tentar religá-lo. Caso volte a ter dúvidas eu postarei aqui.
yan
Membro SL (Ní­vel 1)
Mensagens: 39
Registrado em: 20 Jan 2013, 00:25
Cidade: Barro
Estado: Ceará-CE
Modelo: Monza SLE
Motor: 1.8
Ano: 1991
Combustível:: Gasolina
Injeção: Carburador

Re: CONEXÕES DO CANISTER

Mensagem não lida por yan »

Pessoal, vou reinstalar meu canister, porém, estou tendo dificuldades para compreender todas as ligações dele mesmo com base nas instruções do Waldir. Seria possível alguém dar uma força com um vídeo ou fotos? O meu é um carburado 1991.
Avatar do usuário
luiz sle
Monza-Man (Nível 11)
Mensagens: 9131
Registrado em: 10 Dez 2009, 17:55
Cidade: Cajamar
Estado: São Paulo-SP
Modelo: Monza S/R
Motor: 2.0
Ano: 1988
Combustível:: Etanol
Injeção: Carburador

Re: CONEXÕES DO CANISTER

Mensagem não lida por luiz sle »

Boa tarde!

As imagens do "Tinypic" acabaram sumindo, assim como de muitos outros sites de hospedagem que começaram a cobrar pela armazenagem. Então o tópico ficou confuso.

Com isso, estive estudando o sistema de canister original do Monza carburado, que possui conexões a mais, do que os Monza MPFI/EFI 92>. Sua localização também é diferente (afixado no para-lamas dianteiro esquerdo). Dessa maneira, resolvi salvar algumas fotos do sistema, que estarei postando aqui, para quem venha desejar a deixar o sistema funcional ou queira entender o funcionamento.

Primeiramente, vamos as conexões no tanque de combustível:
Ligação das mangueiras ao tanque.jpg
1 - Respiro do tanque - serve para que o ar presente no tanque possa sair, no momento do abastecimento, no posto de combustível, para que o combustível não fique retornando e dando contra-golpe.
2 - Saída de vapores para o canister. Junto a ele, uma válvula de restrição positiva. Reparem que a mangueira passa novamente ao lado, demarcado em verde.

Gargalo de combustível.jpg
1 -Mangueira de respiro mencionada anteriormente
2 - A mangueira de vapores que vai pro canister, sobe até o bocal de combustível para que fique mais alta que o nível do combustível e auxilie a válvula de restrição positiva, afim de não passar combustível líquido em direção ao canister, o que danificaria o carvão ativado presente dentro do mesmo.

Ligação das mangueiras de combustível e tubo de respiro.jpg
1 - Mangueira de envio e de retorno de combustível.
2 - Mangueira de vapor do tanque em direção ao canister


A mangueira de vapor do tanque, sai junto as mangueiras de combustível, na caixa de rodas dianteira direita, e entra na estrutura dianteira do veículo, anterior ao para-choque:
Possivel local de passagem da mangueira de vapor do tanque.jpg

Segue pela frente do Monza, até sair na caixa de rodas dianteira do lado esquerdo, conectando-se ao canister:
Canister Monza 500EF.jpg

Abaixo, o esquema de ligação das conexões do canister do Monza até 1991, inclusive 500EF:
Esquema de ligação das mangueiras do canister - carburado.png
Nos Monza carburado, há necessidade de conexão à cuba do carburador, para captar os gases da cuba de combustível e enviar ao canister.

A mangueira de gases do carburador, desce através de um rasgo na carroceria, atrás da bateria, juntamente com a mangueira que vai ligada ao coletor de admissão para queima dos gases de gasolina e junto ao tubo de vácuo que é ligado à uma conexão do tipo "T", no avanço à vácuo do distribuidor.
Caixa de rodas - mangueira.jpg

Abaixo, conexão na traseira do coletor de admissão, que coleta os gases de gasolina para queima:
Coletor de admissão - conexão da mangeuria do caninster.jpg
Na conexão ao lado, é ligada a mangueira do blow-by, como em qualquer Monza.

Desfecho: percebam que é um sistema simples de funcionamento, porém composto de vários componentes o que pode deixar um pouco confuso o entendimento. No entanto, tentei exemplificar ao máximo, com fotos que consegui na internet e aqui no próprio fórum.

Qualquer dúvida, estamos a disposição.

Luiz Fernando.
Você não está autorizado a ver ou baixar esse anexo.
Monza, a relação do homem e a máquina.

Momento de força (Torque) máximo líquido:
179N.m (17,5 kgf.m) a 3.000rpm!
Carburador de duplo estágio 2E7
Potência máxima líquida (ABNT NBR-5484)
81kW (110 CV) a 5.600 r.p.m.
1998 cc³

Ex: Monza SL/E 1986
Atual: Monza S/R 1988
Polo TSi 2019
Up! TSi 2020
Responder